Favoritos de 2014 (em construção)

sexta-feira, 18 de abril de 2014

O que eu achei sobre... O Teorema Katherine - John Green

Oi seus lindos! Minha Opinião sobre... vai ser um meme fixo aqui no blog. Desisti de fazer crítica/resenha se eu nem sei como fazer isso. Nessas postagens vou dizer pura e simplesmente o que me fez gostar/odiar o livro e o que eu senti enquanto estava lendo, de uma maneira nada crítica.

O Teorema Katherine

Após seu mais recente e traumático pé na bunda - o décimo nono de sua ainda jovem vida, todos perpetrados por namoradas de nome Katherine - Colin Singleton resolve cair na estrada. Dirigindo o Rabecão de Satã, com seu caderninho de anotações no bolso e o melhor amigo no carona, o ex-criança prodígio, viciado em anagramas e PhD em levar o fora, descobre sua verdadeira missão: elaborar e comprovar o Teorema Fundamental da Previsibilidade das Katherines, que tornará possível antever, através da linguagem universal da matemática, o desfecho de qualquer relacionamento antes mesmo que as duas pessoas se conheçam.

Uma descoberta que vai entrar para a história, vai vingar séculos de injusta vantagem entre Terminantes e Terminados e, enfim, elevará Colin Singleton diretamente ao distinto posto de gênio da humanidade. Também, é claro, vai ajudá-lo a reconquistar sua garota. Ou, pelo menos, é isso o que ele espera.

Acho que todo mundo aqui já sabe que eu AMO a escrita do John Green. Esse ano, consegui completar minha coleção com os 4 livros"solo" dele e claro, ler todos. 
O único que eu não tinha e que ainda não tinha lido é o temido O Teorema Katherine famoso por dividir opiniões, afinal, muita gente gosta desse livro mas também tem muita gente que simplesmente odiou. Quer saber o que eu achei? Continue lendo...


Eu ganhei o livro no meu aniversário esse mês e claro, no dia seguinte eu já estava lendo.
A leitura foi uma surpresa pra mim, eu não esperava quase nada do livro e ele, como é de se esperar do John Green, me surpreendeu, de uma forma muito positiva. 
O livro é narrado em terceira pessoa e isso foi a primeira surpresa que tive e até me deu um pouco de medo no começo do livro, o Green escrevendo em terceira pessoa? isso é novidade!
Vou admitir, prefico livros em primeira pessoa!  #prontofalei Isso não quer dizer necessariamente que eu abomine ou não goste de jeito nenhum de livros em terceira pessoa, apenas prefiro em primeira.
Mas eu gostei muito da narrativa, o autor conversa com a gente através do livro. 

Outra coisa que foi uma surpresa foi o fato do livro ter gráficos e muita matemática envolvida e ó... eu sou uma VERGONHA em matemática, uma fugging vergonha! Mas... a leitura e interpretação desses gráficos e etc foi muito fácil, bem legal até. 
Sobre as notas de rodapé: Muita gente, muita mesmo, achou o fato de haver muitas notas de rodapé (tipo 87) forçado e entediante. Eu não achei isso, pelo contrário eu gostei muito e achei algumas mega engraçadas, o John consegue conversar com a gente por elas também e explica muita coisa relevante. 

Sobre os personagens eu amei todos, desde o Colin até o querido Hassan e a adorável Lindsey e claro, a Hollis também. Achei todos muito engraçados e diferentes dos outros personagens do autor, a forma como ele descreve o sotaque de cada um, as piadas nerds, os sarcasmos... tudo muito inteligente, digno do Green. E aqui vai um apelo: POR FAVOR ESCREVA MAIS LIVROS, URGENTE!!
Os livros dele estão me fazendo tanta falta que até reli o meu favorito esse mês, Cidades de Papel (amei mais aindaaa!)
Falando da edição.... amei essa capa, muito.

Como todos os outros do autor, esse também (obvio) entrou para os meus favoritos!
Bem, essa foi a opinião nada crítica de uma fugging fã do João Verde. 
Beijos!

2 comentários :

  1. Oi, Gaby!
    Amo John Green, mas ainda não li esse livro dele.
    Mas tá aqui! E vou ler logo.
    Espero gostar tanto quanto gosto dos outros. :D

    Beijo grande!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oii San! Que bom te ver por aqui!
      John Green é demais <33
      Lê meesmo! Eu gostei bastante mas sabe como é... muita gente também não gostou.
      Beijos!

      Excluir

Obrigada por comentar!