Favoritos de 2014 (em construção)

domingo, 4 de janeiro de 2015

Mate-me Quando Quiser - Anita Deak

Mate-me Quando Quiser

Ano: 2014 / Páginas: 248
Editora: Gutenberg


Sinopse: Decidindo que sua vida deveria chegar ao fim, mas sem coragem de cometer suicídio, uma mulher contrata Soares, um matador de aluguel. Resolve que sua morte acontecerá na bela cidade de Barcelona, e para isso envia ao seu futuro algoz a passagem de avião e o endereço de onde ficará na Espanha. Ele deverá matá-la no prazo de quatro meses, quando for mais conveniente. Junto com o pagamento, manda também uma foto sua, para que ele saiba quem ela é. Mas ela não quer saber como é a aparência de seu matador. O destino, porém, nem sempre cumpre à risca os planos que costumamos traçar para ele.


Mate-me quando quiser é o livro de estreia da autora brasileira Anita Deak. A narrativa nos apresenta a história de uma mulher que encomenda a própria morte. O que faz de alguém encomendar o próprio fim? Dar um fim a própria vida pelas mãos de outra pessoa. Não sabemos o motivo que a levou a isso, mas sabemos que ela é uma pessoa triste e negativa, que não consegue ver muita beleza nas coisas, mesmo tendo viajado para muitos lugares, e estando em uma das cidades mais belas do mundo, Barcelona. E é lá que essa deliciosa e intrigante narrativa se passa. 
Nos becos góticos e ruas cheias a Mulher está aguardando a própria morte. Deu o total de quatro meses para que Soares fizesse o serviço. Mas ela não esperava um destino tão diferente do que tinha encomendado para si. 
Acaba seguindo um homem que estava em uma mesa próxima a sua em um restaurante e lhe chamou a atenção. Seguindo-o pelas ruas movimentadas acaba descobrindo que o tal Homem tem duas famílias. A Loira e a Morena, duas mulheres diferentes com duas coisas em comum: ambas são casadas com o mesmo homem e ambas têm um filho. Mas, claro, uma 
não sabe da existência da outra e é assim a 7 anos. 

"Então o Homem tinha duas mulheres. Dois filhos. Duas casas. Enquanto ela só tinha de si o que, em pouco, iria findar. Mas, antes que tudo acabasse, viveria a história dos outros como despedida à sua. E se soares a matasse rápido, também morreria com a narrativa incompleta. Há muito acreditava que o fragmentado é irreversível. Independe do tempo e do conhecimento. Zomba da vontade de enxergar qualquer coisa como verdade absoluta e acabada."  Pg 23

A Mulher, em um passeio que pra ela pode ser o último, acaba tombando com a Morena e aí nasce uma interessante amizade. 
Soares, o Matador contratado pela Mulher, está se estabelecendo em Barcelona, pois acredita que assim pode sair ileso quando dar fim a vida de sua cliente, mas sua curiosidade em saber o por quê da Mulher contratá-lo para tal serviço pode acabar mudando o rumo das coisas.


A narrativa é em terceira pessoa e acompanhamos a visão de todos os personagens. A Mulher,  a Morena, a Loira, o Homem e Soares. Apenas esse último tem um nome no livro.

O tempo todo o narrador "conversa" com o leitor, o que sempre é muito bom para nos sentirmos dentro da história. 
Posso dizer que comecei 2015 com o pé direito. Mate-me quando quiser é um dos melhores nacionais que li. 
Anita Deak escreve como ninguém, e soube dosar perfeitamente peso e leveza em sua primeira obra, obra essa que não nos deixa pregar o olho antes de sabermos que fim terá os personagens. E o fim que tiveram não foi nem por um segundo esperado por mim. Eu não daria um desfecho melhor e mais complexo que esse. 
 É uma leitura cheia de significados e sentimentos nas entrelinhas, é por isso que digo que Deak escreveu com a alma e se doou muito enquanto escrevia. 
Espero que esse seja o primeiro de muitos pois não quero ficar órfã de tão bela escrita. 
Emocionante e cheio de vida, mesmo tendo a encomenda de uma morte como assunto principal.

Esse livro foi publicado pela editora Gutenberg, grupo Autêntica, que é parceiro aqui do blog. Quero que saibam que a minha opinião sobre o livro (e todos os outros que virão) é totalmente verdadeira.

A edição está linda! A ilustração da capa é bem bonita e atrás parece uma carta mesmo.




Espero muito que tenham gostado da resenha. Se gostou não esquece de comentar aqui em baixo <3  Em breve colocarei o port de Melhores Quotes desse livro por aqui :)


2 comentários :

  1. Gostei muito do post, o livro parece ser bem interessante e a ilustração da capa... um máximo! É legal encontrar indicação de escritores brasileiros, já que vemos muito indicações de obras estrangeiras.
    Beijo! ;)

    http://arosadoprincipe.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz que tenha gostado, Jéssica.
      Também adoro indicações de livros nacionais, vou até fazer uma meta pra esse ano de ler pelo menos 1 livro nacional por mês. Bora ver se consigo! haha
      Beijos!

      Excluir

Obrigada por comentar!