Favoritos de 2014 (em construção)

quinta-feira, 12 de março de 2015

Jogando Xadrez com os Anjos - Fabiane Ribeiro

Jogando xadrez com os anjos

  Jogando xadrez com os anjos - Inglaterra, 1947. A Europa encontra-se devastada pela Segunda Guerra Mundial, assim como o coração de Anny. A garota de oito anos vê seu mundo desmoronar ao receber a notícia de que não poderá mais viver com os pais e terá que se mudar de casa levando pouco mais que seu tabuleiro de xadrez. Tudo parecia um pesadelo, até que surge Pepeu, um jovem misterioso que mudará para sempre a vida de Anny, levando-a a aprender sobre o mundo e a viver momentos emocionantes sem sair dos canteiros de seu pequeno jardim. Ao lado de anjos que são colocados em sua jornada, a doce menina aprende a enfrentar as dificuldades através de lições de abnegação, fé e amor verdadeiro.





Playlist:

I Can Only Imagine -               MercyMe
The Scientist -                          Coldplay
Quando o Inverno Chegar -   Tim Maia



Esse livro estava "abandonado" na minha estante desde 2013, mas eu tenho meus motivos para não ter lido antes: a minha edição é econômica. Ok, todo mundo lê edições econômicas... sim! E eu mesma leio livros nesse formato sempre, mas esse foi difícil; a lombada quebrou no primeiro dia que o peguei nas mãos e era difícil de manusear. Mas então esses dias tive uma vontade enorme de lê-lo, e foi o que fiz. Hoje vou contar para vocês a minha opinião sobre Jogando Xadrez com os Anjos, da autora brasileira Fabiane Ribeiro.


"Esta história fala de anjos, em todos os sentidos em que eles possam existir em nossa vida."  _ Fabiane Ribeiro


Neste livro acompanhamos a história de Anny, uma linda menininha de 8 anos que nunca saiu de casa... O emprego dos pais não permite isso, e ela só pode vê-los uma vez por semana. Bem, agora isso está prestes a mudar, mas para pior. 
O pai de Anny, Jefferson, presenteia a menina com um lindo jogo de Xadrez feito de cristal, e esse logo vira o brinquedo favorito de Anny, depois de sua ovelhinha de pelúcia Tiara, claro. O jogo a faz lembrar do pai quando ele está longe, e ela fica treinando para que, quando o pai volte, possa jogar com ele. Os sábados são os melhores dias, pois é quando seus pais voltam e passam o dia com ela. 


"O amor dela pelos pais era maior que o mundo. Era do tamanho do seu coração. Era um amor tão lindo e suave que parecia uma prece." pág 8


Mas agora Cindy e Jefferson não vão mais vir uma vez por semana, agora virão, se puderem, uma vez por ano. Anny fica muito triste e pede por tudo que não a deixem; mas o emprego de seus pais requer compromisso total, além de ser perigoso... A menina não tem ideia do que fazem. 

Anny fica ainda mais triste quando descobre que morará com sua professora Jane, que mora na pequena casa em frente a mansão onde ela mora.
Jane é uma mulher sem nem um pingo de amor ou piedade em seu coração; mora com seu marido Hermes, um homem que há muito tempo esqueceu de viver e, naquela casa, não existe cor nem luz, até Anny chegar. 


A menina passa por todo tipo de humilhação e privação. Ela não pode sentar à mesa, não pode sentar no sofá, nem assistir televisão ou ouvir rádio, e são apenas duas refeições por dia; não pode falar com Jane ou Hermes se não for algo importante; tem que varrer e lavar toda a louça, não pode nem afastar as cortinas e olhar a rua pois seu pai pagou muito bem para que Jane não permitisse ela sair pois homens maus podiam se vingar de Jefferson fazendo mal a sua filha. 


"A vida é como uma partida de xadrez, se não se consegue em um dia, deve-se tentar no dia seguinte, e nunca deixar de acreditar - Anny dizia para Tiara."Pág 26


A única alegria de Anne é contar os dias para que o inverno chegue e com ele a neve... É quando a neve chega que seus pais aparecem, uma vez por ano. Como se sente muito só o tempo todo, ela passa seu tempo jogando xadrez e cuidando do jardim que está sem flores e sem vida a muito tempo. Com o tempo e muita dedicação de sua parte, ali começam a brotar lindas flores e amizades...

É nesse cenário, no jardim, que Anny conhece Pepeu, um jovem artista que aparece do nada para trazer ainda mais luz e esperança para os dias da menina. Ele logo se torna seu melhor amigo, como um irmão mais velho, sempre pronto para ouvir o coração cheio de saudades da menina. Ele, com o tempo, vai contar-lhe sua triste história, que ele guarda dentro de si à 7 chaves. 
Anny encontrou um amigo que mais parecia um anjo, ou Pepeu era realmente um anjo? Apenas ela podia vê-lo e sentir sua presença, mais ninguém. E eles, juntos, formavam uma família. 

Anny tem um coração imenso, ama com toda a sua alma e faz de tudo para afastar pensamentos negativos, deixando apenas sentimentos puros e bonitos em seu interior, nunca medindo esforços para ajudar o próximo; buscando sempre motivos para sorrir e acreditar, tendo fé em Deus e no destino.
 Mas toda essa pureza e delicadeza presente na menina só provocava raiva em Jane, e a convivência com aquela mulher asquerosa e cheia de ódio estava a cada dia mais difícil. E sempre quando as coisas ficavam ruins anjos apareciam... Primeiro veio Pepeu, seu amigo e irmão, e depois veio uma mulher, Nicole, sobrinha de Jane, que vendo a situação da menina naquela casa de pôs a ajudar e fazer dos dias de Anny dias mais bonitos e a espera pelos seus pais mais suportável. 




"Não podemos esperar das pessoas mais do que elas estão prontas para nos entregar." Pág 62

As desventuras que Anny vive são tão tristes e cruéis que toca o coração do leitor e trás uma forte emoção a cada virar de páginas. É uma história triste, sim, mas linda e cheia de lições importantes. Uma pessoa tão positiva e cheia de amor como a Anny é difícil encontrar na vida real, longe do mundo dos livros. A felicidade que a menina encontra nas pequenas coisas do dia a dia faz o leitor repensar sobre as próprias atitudes.


Essa história começa no ano de 1947 e se passa na Inglaterra em um cenário pós segunda guerra. Por se passar fora do Brasil eu tive um certo medo de não conseguir imaginar aquele cenário e até achar forçado da parte da autora. Mas eu sinceramente gostei disso no livro, dessa coragem da autora de criar uma narrativa que se passa longe de seu país de origem e onde os costumes e o clima são diferentes do nosso. 



A narrativa é toda em terceira pessoa, e a escrita da Fabiane é uma delicia. A narrativa flui muito bem, pelo menos até chegar ao final... 

Vi algumas pessoas comentando sobre o final e afirmando que essa foi a melhor parte do livro. Eu discordo. O livro todo é lindo e de leitura fácil e rápida, mas o final eu achei meio repetitivo e um pouco maçante. Não tenho dúvidas de que o desfecho foi bom, mas eu esperava mais dele. E sobre o livro ter 400 páginas eu achei um pouco demais, poderia sim ter sido encurtado em 350 páginas e ainda seria maravilhoso. 


A personagem principal é a Anny, mas existem outras histórias de outros personagens presente no livro. Temos a história de Pepeu, que é uma história de amor interrompida; a história do senhor Hermes; e também a história da irmã de Jane, mãe de Nicole, que foi morar no Alasca após a morte do marido. Essas histórias lindas e tristes ao mesmo tempo fizeram com que o livro não ficasse entediante e acrescentam muito à história. Ah, temos também partes que narram o que os pais de Anny estão fazendo. 



"Ele esboçou seu sorriso largo e contagiante, daqueles que fazem todos sorrir também. Um sorriso calmo, sem pressa, um sorriso de menino, mesmo que no rosto de um pequeno homem. Um sorriso sincero, conquistador, desafiador e, ao mesmo tempo, desbravador... De um mundo sem limites. Tudo que havia naquele sorriso era reflexo do que a simples lembrança do amor trazia a Pepeu." Pág 71

Jogando Xadrez com os Anjos é um drama, e como a maioria dos dramas, trazem fortes emoções a quem o lê. Eu sofri junto a Anny e também me diverti junto a ela. 
A escrita da autora é muito boa! Ela ambientou a história em outro país e fez isso de uma maneira incrível... o Brasil só é citado nas últimas páginas, mas eu gostei disso pois Fabiane sabia o que estava fazendo. 
Olhando no facebook da autora eu vi até que foi traduzido para o inglês, olha só que maravilha! 
Eu sei que muitos de vocês não curtem drama (eu adoro), mas eu acho que deveriam conhecer essa belíssima história e sua linda e iluminada protagonista. 
Quem já leu me conta aqui embaixo o que achou! 

23 comentários :

  1. Gabi,
    Esse livro parece ser bem fofinho e o legal é que é de uma autora brasileira e devemos valorizar os nossos autores. Marquei no skoob para procurar depois.
    Bjus,

    Dani Moraes
    www.asverdadesqueopinoquioconta.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Dani! Tudo bem?
      É lindo! Emocionante, maravilhoso. Sim, devemos valorizar e apoiar nossos autores.

      Beijos!!

      Excluir
  2. Esse livro parece ser muito bom e sua resenha me fez querer lê-lo. Eu não lembro se já ouvi falar sobre ele, o título me soa familiar. Enfim, parabéns pela resenha, talvez eu o adicione na minha lista de desejados.

    Beijão!
    www.acampamentodaleitura.com/2015/03/resenha-origem-do-lobo-curtis-jobling.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É ótimo, Gleydson, assim que tiver oportunidade leia.
      Beijos!

      Excluir
  3. Olaaa,
    Entendo você, sobre não tê-lo lido antes por ser edição economica. Tenho certo receio quanto a isto também. Eu ainda não conhecia o livro, mas eu curto um drama, e fiquei bem interessada. Anny parece ser uma personagem muito cativante, e só de ler sua resenha fiquei encantada por ela, mas também senti pena :( Pepeu é outro que já me conquistou haueahea Gostei da resenha! Beijos,
    http://www.entreleitores.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não tenho problemas com edições econômicas, mas essa foi econômica até demais, rsrs, foi super difícil ler.
      Drama, ultimamente, é o que mais estou lendo. Parece que tenho imã pra esse tipo de livro! rsrs
      Pepeu é um amor de personagem, impossível não simpatizar por ele.
      Fico feliz que tenha gostado.

      Beijos <3

      Excluir
  4. Oi, Gaby!
    Eu já vi esse livro nas prateleiras e já tive vontade de ler, mas ainda não comprei.
    Mas sua resenha me mostrou que esse é o tipo de livro para o qual eu tenho que me preparar antes pra ler. Porque eu me envolvo demais com as histórias e há algumas que acabam comigo, rs.
    Vou querer ler, sim! Mas não agora. :)

    Beijo grande!

    www.oblogdasan.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, é o tipo de livro que requer mais cuidado, e também mente aberta antes de ler. É bem triste, mas um amor de livro!
      Beijos, San!! <3

      Excluir
  5. Eu já tinha ouvido falar desse livro a muito tempo, mas nunca parei para procurar mais sobre ele. Parece ser uma história encantadora e emocionante. Fiquei bem curiosa. Adorei a resenha, beijos.
    www.reinodaloucura.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É encantadora, sem dúvidas! Se tiver a oportunidade leia.
      Fico muito feliz que tenha curtido a resenha.
      Beijos!!!

      Excluir
  6. Que história linda! Sou fascinada por essa época da 2ª guerra e me interessei bastante pelo livro!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz que tenha se interessado, Ariel!
      A época 2° guerra também me intriga, gosto bastante de ler livros que se passam nela.
      Beijos!

      Excluir
  7. Eu tenho um livro versão econômica que aconteceu a mesma coisa, é realmente bem ruim de manusear...
    O livro me chamou bastante atenção, o tema é super interessante, estou sempre lendo coisas da época da 2ª e também 1ª guerra, então com certeza vou ler.
    Espero gostar tanto quanto você!
    Beijão!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu tenho MUITOS livros em edição econômica super lindos e bons de ler, mas esse foi bem difícil, infelizmente, pois o livro é maravilhoso.
      Espero que leia e goste da história da Anny!
      Beijos!!

      Excluir
  8. Olá :D
    Já tinha visto esse livro pela blogosfera mas nunca tinha parado para ler uma resenha sobre ele.
    Fiquei com pena da Anny por saber que não poderia mais morar com seus pais e teria que viver com sua professora que pelo jeito a tratava como uma empregada. Por sorte ela conhece Pepeu né?
    Adorei a resenha e pelo jeito eu iria gostar muito da história
    Abraço
    http://interessantedeler.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oiii!
      A história da Anny é linda, merecia mais divulgação do que teve!
      Fico feliz que tenha gostado da resenha e se interessado pelo livro. Espero que leia e goste!
      Beijos

      Excluir
  9. Olá, assim como você, eu amo livros do gênero drama, eles acabam se tornando os meus favoritos e queridinhos da estante, e creio que com esse livro não seria diferente, ao olhar a capa, não me interessei muito, mas após saber do que se trata fiquei MUITO curioso e quero ler o mais breve possível. Que bom que o livro foi traduzido para o inglês, é bom ver os autores nacionais decolando junto com seus livro mundo a fora.

    Amei a resenha, beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Drama <3 </3 Tenho um amor por esse gênero, principalmente quando o livro consegue me tocar e me emocionar.
      Que bom que gostou da resenha, Vinicius, fico muito feliz por isso!! :D

      Beijos!

      Excluir
  10. Chorei muito, mesmo hoje quando folheio o livro choro....emocionante...quem não leu, vale a pena!

    ResponderExcluir
  11. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  12. Não tem o que falar do livro,recomendo não só a leitura como também uma reflexão após a leitura.O amor que Anny tinha está se apagando aos poucos do ser humano.

    ResponderExcluir
  13. Gostei da história da Anny, de como ela era forte e tentava sempre fazer o bem e não deixar que sentimentos ruins habitassem no seu coração. A única parte que não gostei foi porque o pai dela Jefferson morreu, quem era pra ter morrido era a mãe dela a Cindy pois ela nem gostava tanto da Anny, mas Anny amava o pai e o pai amava ela.

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar!