Favoritos de 2014 (em construção)

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

Grande Irmão, de Lionel Shriver

"Meu paladar ficou mais amplo na idade adulta, mas não o meu caráter. Sou como arroz branco. Sempre existi para dar destaque aos pratos mais empolgantes. Fui um complemento quando menina. Sou um complemento agora."

Grande irmão_blog


Pandora tem uma vida agradável: uma empresa de bonecos de corda que vêm fazendo enorme sucesso; Seu marido, Fletcher, que a ama e que, apesar de ser um ranzinza viciado em controle, faz ela feliz; dois filhos que adotou do primeiro casamento do esposo; uma casa grande e bonita e dinheiro suficiente para manter seus padrões por um bom tempo.

Seu sossego e o de sua família é abalado quando Edison, seu irmão mais velho, resolve passar dois meses com eles, em uma visita um pouco extensa demais para os padrões, e para a infelicidade dos sobrinhos postiços e do cunhado, que não o suporta.

Edison é o grande orgulho de sua irmã, e Pandora não perde uma oportunidade para elogiá-lo. Não é para menos, já que por muito tempo ele foi um nome respeitado no mundo do Jazz, como pianista. Sua surpresa não poderia ser maior quando, ao buscá-lo no aeroporto, se depara com um homem totalmente mudado. ENORME.
Os antes 75 quilos de Edison agora são aproximadamente 175. Claramente tem algo errado, e Pandora não sabe o que fazer para ajudar o irmão obeso, inconveniente e encostado; que come toda a sua comida e aos poucos começa a contribuir para que seu casamento fique por um fio.

Os dois meses acabam, e ela entra em um dilema: ajudar o irmão a se reerguer ou salvar seu casamento? Até onde pode ajudar alguém que se recusa a cooperar? Até onde o parentesco e a sensação de precisar fazer alguma coisa irão levá-la?
O que você faria?

"(...) julgo assustadoras as relações consanguíneas. O que há de maravilhoso no parentesco é também o que há de terrível nele: não existe linha alguma riscada na areia, não existe um limite natural para o que é razoável que essas pessoas esperem de você." 

Era isso que se repetia em minha mente a cada capítulo que passava: o que eu faria nessa situação?
O dilema no qual a personagem se encontra foi tão maravilhosamente desenvolvido, tão inquietante, que a maioria de suas investidas a cerca da situação do irmão me faziam refletir durante horas.

O livro é narrado por Pandora, e assim conseguimos adentrar em sua mente e conseguir entender essa personagem tão singular. No começo, a achei muito comum, mas entendi que era isso que a autora queria: colocar pessoas nada extraordinárias em situações improváveis de grandes proporções. Conforme vamos conhecendo ela e sua família, captamos uma coisa ou outra que acabam por fazer todos eles especiais de certa forma. Pois não somos todos especiais de fato?

Lionel Shriver nos apresenta aqui um drama familiar cujo assunto principal é: comida.
Algo totalmente necessário para a nossa sobrevivência; algo tão presente em nosso dia a dia que quase não chega a ser algo digno de tanta atenção. Porém, nessa ficção com carinha de biografia, dada a forma narrativa, somos desafiados a pensar mais profundamente sobre isso. Por que comer se tornou tão complicado? Quando a comida se torna um vicio perigoso, o que fazer? 

Grande Irmão foi uma leitura densa, exigente e de qualidade incontestável. Aborda um assunto muito intimo e doloroso em muitos momentos, além de totalmente relevante dado os números de casos de obesidade em todo o mundo, e também a taxa de mortalidade pela doença. Sim, obesidade é uma doença crônica e deve ser controlada por toda a vida. 

O desfecho foi uma grande surpresa! Realmente não estava à espera de algo tão ousado, então fiquei embasbacada. É minha primeira experiência com a autora, e posso dizer que foi muito boa! O livro não entrou para os favoritos, mas com certeza não é uma estória fácil de esquecer. Indico a todos!

23 comentários :

  1. GABS <3! Eu já havia visto esse livro antes, mas nunca cheguei a pegar para ver sobre o que se tratava. De qualquer forma, parece uma história muito boa, com um problema nem sempre muito lembrado de ser um problema (afinal, nem todo mundo leva a sério que obesidade é uma doença e que está afetando muitos ultimamente). Tenho outro livro da autora, Precisamos Falar Sobre Kevin, mas ainda não o li. É uma das minhas leituras desse ano, espero gostar <3. E já anotei a dica e buscarei mais sobre Grande Irmão, também.

    Beijos!
    Hels, The Blue Blog

    ResponderExcluir
  2. Ainda não conhecia o livro, mas a autora ficou bem famosa em função dos seus outros livros. Fiquei curiosa quanto a este final que tanto te surpreendeu e espero poder conferir em breve a leitura e apreciar também.
    Meu Amor Pelos Livros
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Olá!
    Meu primeiro contato com a autora foi através da adaptação de Precisamos Falar Sobre O Kevin, embora ainda não tenha lido o livro. As demais obras da Lionel eu não conheço.
    Achei a premissa bem interessante e fiquei bastante intrigada com o final, já que a personagem se vê num grande dilema. Com certeza é uma situação não muito fácil de resolver.
    Se tem uma coisa que eu odeio é aquele personagem que chega e se ''instala'' por algum tempo na casa de alguém. E como se não bastasse ser folgado, inconveniente e encostado, ainda traz problemas para os donos da casa. E como se tudo isso ainda não fosse o bastante, ainda põe os próprios donos da casa em um enorme dilema. O que dizer do Edison que nem conheço mas já odeio pakas? huahua
    Abraços!
    http://blogladoescuro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Olá... não me lembro de conhecer a autora e nem o livro, mas compreendo o que quis dizer... eu tive depressão pós parto e achei que nunca fosse sair dela com vida... porque além dela meus hormônios estavam fervorosos e eu não tinha forças para lutar e me entreguei... foram mais de 5 anos sem ligar para nada... e nem para ninguém... fiquei imensa, hoje estou começando a me cuidar e a finalmente emagrecer... não sei o que levou o irmão de Pandora a se entregar a comida assim e achar que ela seria o refúgio para todos os seus problemas, ainda que ele tenha noção do que se passa ao seu redor, é que nem um drogado que não quer reconhecer que está doente... então enquanto isso não acontece... ninguém poderá ajudar... Eu sinceramente um dia acordei pra vida e decidi que estava doente e precisava de ajuda, mas a minha mãe não desistiu de mim... mas ela é sozinha... não tinha um família por trás... o dilema de Pandora é mais complexo... porque ela tem a família para olhar... e deve amar muito irmão então eu não sei o que faria.. Xero!!!

    http://minhasescriturasdih.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Olá Gabrielly,
    A leitura deve ser mesmo densa e acho que justamente por isso, não sinto vontade de ler no momento. Apesar da densidade da leitura, acredito que ela deva ser bem rica.
    Eu adoro me surpreender com os finais e adorei sua resenha!
    Beijos,
    http://mileumdiasparaler.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Oi!
    Já ouvi falar da autora e tenho muita vontade de ler Precisamos falar sobre Kevin, e mesmo você tendo gostado dessa obra eu ainda estou com um pé atrás com relação a sua leitura. Acho que vou começar com um livro dela que eu realmente quero ler e depois avanço para outra obra. Ótima resenha!
    Abraços,
    Andy - StarBooks

    ResponderExcluir
  7. "Os antes 75 quilos de Edison agora são aproximadamente 175. Claramente tem algo errado, e Pandora não sabe o que fazer para ajudar o irmão obeso, inconveniente e encostado; que come toda a sua comida e aos poucos começa a contribuir para que seu casamento fique por um fio."
    Não sei se essa frase péssima é da sinopse da editora ou sua (prefiro acreditar na primeira opção) mas eu to cansada.
    Muito cansada da forma como gordos são encarados na literatura, nos filmes, e na sociedade.
    Li um comentário acima de uma moça corroborando, dizendo que ficou imensa e agora está emagrecendo.
    As pessoas agem como se ser ou ficar magro fosse algo mágico, que resolve tudo. Eu tô cansada de gordofobia, e esse livro eu vou passar bem de longe.

    ResponderExcluir
  8. Oiee ^^
    Ainda não conhecia esse livro, mas só de saber que é da Lionel já fiquei curiosa...hehe' adorei a outra obra dela que eu li ♥ A sinopse não me interessou muito, mas a sua resenha conseguiu me fisgar de jeito. Saber que é um livro um tanto ousado e que surpreende o leitor me deixou ainda mais animada para lê-lo. Espero gostar também.
    MilkMilks
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  9. Oiii
    Realmente ainda não conhecia este livro, e me deixou bastante curiosa principalmente porque teve um final com surpresa para ti <3 quando eu puder comprar leria com toda certeza <3
    Beijão

    ResponderExcluir
  10. Olá, não lembro se já ouvi alguma coisa a respeito dessa obra. Adorei sua resenha, parabéns!

    Beijokas da Quel ¬¬
    Literaleitura

    ResponderExcluir
  11. Realmemte é um livro bastante reflexivo, gostei da forma como a autora conduziu todo o enredo e como ela tratou do assunto da obesidade e do que isso pode trazer á uma pessoa. Fiquei realmente interessado!

    Abraços & até!!

    lendoferozmente.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  12. Olá,
    Não conhecia o livro, mas que dilema heim?!
    Situação bem difícil para ela: ajudar o irmão ou salvar o casamento?
    Deve ser bastante interessante, conhecer um pouco mais desse universo de obesidade e saber como lidar com essas pessoas que sofrem.
    Gostei bastante da resenha e fiquei curiosa sobre esse final.
    beijos
    Conchego das Letras

    ResponderExcluir
  13. Olá!!!
    Confesso que não conhecia a autora e fiquei interessada por este livro que tem uma premissa interessante e reflexivo. Na resenha percebemos que a historia é intensa e emocionante.

    Beijos
    Carla Fernanda
    http://livrosqueliblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Olá, eu ainda não conhecia e fiquei super interessada nessa história, até mesmo por ser tão diferente do que temos visto ultimamente. Gostei do enredo e acredito que seja mesmo uma leitura densa. Me deixa curiosa saber que final é esse que lhe deixou embasbacada. O livro me cativou e sua resenha contribuiu muito para isso, espero que eu leia pois realmente gostei do enredo

    ResponderExcluir
  15. Olá! Poxa,que resenha incrível.Parabéns!
    Eu ainda não li nada da Lionel Shriver,mas comprei recentemente "Tempo é Dinheiro" e já ouvi falar muito bem de "Feliz Pós-aniverário". Já assisti a adaptação de "Precisamos falar sobre Kevin" e gostei MUITO!.
    Pelo jeito ela é uma autora maravilhosa. E Depois da sua resenha parece que ela só tem obras boas mesmo.
    Abraço;

    http://estantelivrainos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  16. Oie! Nunca havia ouvido falar sobre a obra ou sua criadora, mas adorei o assunto proposto. Realmente, obesidade é um assunto sério que deve ser conversado. É uma doença que precisa ser tratada e, quem a possui, necessita da ajuda e do apoio de pessoas próximas, pois acredito que não seja tarefa fácil livrar-se dela. Sua resenha me deixou louca para saber as atitudes que a personagem vai tomar e qual o desfecho dessa trama. Adorei cada um dos seus comentários!

    Beijos,
    Fernanda F. Goulart,
    Império Imaginário.

    ResponderExcluir
  17. Olá! Adorei a sua resenha!
    Com certeza, o livro vai entrar na minha lista agora mesmo!
    Adoro esse tipo de leitura, com dramas familiares e assuntos polêmicos. Gosto muito quando o tema obesidade vem à tona, pois pouco se faz para frear esse problema que tem tão grandes proporções no mundo atual.
    Adorei a resenha, valeu a dica!
    Abraço!

    Karla Samira
    http://www.pacoteliterario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  18. A obesidade é um tema polêmico. É preciso muita sensibilidade para falar sobre, pois se não acabamos correndo o risco que impor padrões estéticos impossíveis de alcançarmos.
    Pela sua resenha a autora soube dosar o tema, chamando atenção para o problema de saúde, que vem sempre aliado com outros problemas, como a depressão.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  19. Oii, tudo bem?
    Eu já vi esse livro em várias feiras literarias aqui na minha cidade, porém a sinopse nunca me chamou a atenção e eu sempre deixei o livro passar. Porém, ao ler a sua resenha, confesso que fiquei bem intrigada com a historia, principalmente com o desfecho surpreendente. Espero ter a oportunidade de o ler.

    ResponderExcluir
  20. Oi!
    Não conhecia nada sobre este livro, e achei o tema abordado bem interessante, ainda mais porque não é algo que eu costumo encontrar na literatura.

    Beijos
    http://ummundochamadolivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  21. Olá!

    Achei o livro bem interessante, na verdade,o que me chamou atenção foi o nome do autor,vou procurar ler.

    Abraços, Heitor Botti
    shakedepalavras.blogspot.com

    ResponderExcluir
  22. O livro me lembrou um pouco um filme que assisti a muuuito tempo (e não me recordo o nome). A História parece daquelas que te passam uma lição sobre o verdadeiro amor de família. Adorei!

    Vitória, www.vicio-de-leitura.com

    ResponderExcluir
  23. Oi, tudo bem?
    Não leria o livro no momento pois estou evitando leituras densas. O livro tem uma premissa interessante e sei bem como é complicado tentar ajudar alguém que não coopera.
    Bjs

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar!