Favoritos de 2014 (em construção)

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

Sem tetas não há paraíso, de Gustavo Bolívar Moreno

"Catalina entendeu que enfrentaria moinhos de vento, se preciso, para conseguir o dinheiro da cirurgia, uma vez que seu futuro estava condicionado ao tamanho de seus peitos."


Catalina é uma adolescente de 14 anos que mora em Pereira, na Colômbia. Leva uma vida simples, ao lado da mãe e do irmão mais velho; e seu futuro é incerto. Não gosta de estudar, mas também não quer continuar na miséria, nem se imagina casando e tendo uma vida ainda mais simples com seu namorado Alberto - um jovem ingênuo, que só tem olhos para ela -, ambiciosa que é. 

A alternativa é entrar para o mundo da prostituição, como fez sua amiga Yésica, agora uma cafetina, e tantas de suas colegas; meninas só um pouco mais velhas que Catalina que saem com traficantes e depois aparecem esbanjando dinheiro, roupas caras e ainda enchem a despensa de casa todo mês! É isso que a menina, virgem, deseja para si, mesmo que o preço a pagar seja seu próprio corpo. 

O problema chega em forma de peitos, ou melhor: na falta deles. Acontece que Catalina quase não tem seios, e para conseguir fazer programa com algum traficante endinheirado, precisa mudar isso. Na sua vizinhança, as meninas com mais peito são as mais "bem de vida".

Com o corpo ainda em formação e depois de escutar muitas besteiras e mau conselho, sua saga para conseguir a sonhada prótese de silicone começa. Catalina envereda pelo caminho tortuoso, perigoso e cheio de mentiras da prostituição e do crime organizado. Sofre as mais terríveis angústias; é enganada, machucada e iludida várias e várias vezes; mas ninguém consegue fazê-la mudar de ideia. 

"De fato, e fazendo as contas a respeito da dependência dos homens em relação às vaginas, se perguntou aterrorizada, no meio de sua dissertação: que teria sido dela se não tivesse uma?"

Sem Tetas Não Há Paraíso foi escrito de forma extremamente direta, quase que sem rodeios. É uma narrativa que logo de cara nos dá um tapa no rosto para nos acordar e vai jogando mais e mais informações no leitor. O livro é recheado de muita crítica à sociedade; ao governo, ao consumismo e à alienação das pessoas pelas industrias de beleza. Além de tratar de temas como prostituição infantil, tráfico de drogas, violência e também machismo e política.

Moreno não nos polpa dos detalhes, e por mais que ele não se atenha tanto às cenas mais "pesadas" de sexo e violência, elas existem, e por não serem tão descritivas acabam deixando que a imaginação do leitor o guie, e não sei se, levando isso em conta, fez mais bem ou mal.

Alguns pontos da estória me deixaram confusa; e acho que isso se deve a não ter tido um contato anterior com a realidade da pobreza e do tráfico de alguns lugares da Colômbia e também dos costumes deles por lá. Porém, acho que o autor poderia ter desenvolvido melhor alguns pontos do enredo.

Por exemplo, a maneira como uma adolescente de 15 anos pode fazer o que bem quiser (e estou falando de algo como uma cirurgia ou casamento na igreja) sem autorização legal me deixou estupefata. Isso e o fato de algumas personagens tratarem os mafiosos como verdadeiras estrelas de cinema, chamando-os de príncipes e até heróis! Fiquei horrorizada.
E isso mostra o quão longe estou dessas barbáries e o quanto ainda tenho que me inteirar sobre outras sociedades, não querendo dizer que moro no paraíso. 

O livro, apesar de abranger todos os assuntos já mencionados, tem um ritmo de leitura rápido. Conseguiu me prender de tal maneira que devorei suas 308 páginas em poucas horas de leitura. O final, tão cru e surpreendente como todo o livro foi até ali, me deixou ainda mais impactada e, assim que fechei o livro, passei muito tempo refletindo sobre a leitura e tudo de novo que ela me apresentou. 
Indico muito! 

"Sem tetas não há paraíso" pode ser considerado um exemplar da narcoliteratura, um novo gênero que vem crescendo cada dia mais, principalmente em países como México e Colômbia. 

38 comentários :

  1. Meu primeiro pensamento quando vi o nome do livro foi "é erótico", mas pelo visto me enganei completamente hahaha Achei o título deveras interessante, chama muita atenção (de uma forma positiva, ao meu ver).
    Gosto de estórias cruas assim, que têm como base uma realidade totalmente diferente da minha, tal qual não tenho contato. Me lembra Christiane F., que li quando era bem jovem e cumpriu o trabalho de abrir a minha mente.
    Eu não conhecia esse gênero "narcoliteratura", mas só consigo pensar no seriado Narcos hahahah

    http://magoevidro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Nossa já quero esse livro! A capa, o título e sua resenha foram um combo e tanto para despertar minha curiosidade. Gosto de leituras cruas, mesmo que sofra com elas de alguma maneira. Acho importante abordar esse tipo de tema para quem sabe gerar uma discussão e reflexão sobre o assunto. As vezes a gente não tem a real noção das coisas que acontecem a nossa volta quem dirá em outras partes do mundo, né? Gostei muito da resenha e quero ler o livro.

    Beijão!
    http://www.escritacolorida.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Um livro que trata a sociedade como ela realmente é, sempre nos choca de certo modo. Um livro duro, mas que temos que ler, é bom esse tipo de leitora porque nos abre os olhos...
    Beijinhos, Helana ♥
    In The Sky, Blog / Facebook In The Sky

    ResponderExcluir
  4. Oiee,
    Juro que quando vi a capa e o titulo já pensei que fosse alguma coisa hot, já me deu sono heheh, mas ai fui lendo a resenha e vi que não era muito isso e fiquei beeem curioso pelo livro.

    Abraços!
    http://lendocomobiel.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Olá!
    Esse é um tipo de livro que todos deveríamos ler em algum momento. Uma leitura difícil, até mesmo chocante mas importante para nosso crescimento. Serve como lição é nos faz refletir sobre o mundo em que vivemos, onde nossas crianças se vendem por tão pouco.
    Uma leitura que farei algum dia.

    Abraços, Lara.
    http://www.imperio-imaginario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Olá! Nunca ouvi falar desse livro, mas me lembrou bastante das minhas aulas de sociologia sobre cultura de massa, machismo, consumismo e etc. Parece ser muito interessante, acho esses temas muito intrigantes e ao mesmo tempo pesado, não sei se gostaria muito de ler algo assim no momento, mas com certeza não irei me esquecer. Flores no Outono

    ResponderExcluir
  7. Já tem um bom tempo que ando atrás de ler esse livro, pois a temática que ele aborda, é bem forte e faz muito meu gênero de leitura... gosto de tramas cruas e de ritmo alucinante, recentemente li um nessa mesma vibe, Pssica...
    Bjs, Gaby <3

    ResponderExcluir
  8. Quero esse livro. Já tinha visto resenha em outro blog e achei o enredo rico, fora o espaço geográfico, que foge do velho clichê de histórias nos EUA ou Europa. Eu li recentemente um pesquisa sobre a juventude no Brasil e no mundo e a necessidade de pertencer a algo que geralmente está ligada a algo dentro de sua comunidade, acho que esse enredo casa bem com o que vi.

    ResponderExcluir
  9. Oiii
    Preciso deste livro para ontem! Que enredo maravilhoso, fiquei completamente diferente do que costumo ler e além do mais ele não como os livros que estão sendo lançados atualmente. Me agradei bastante.
    Beijão

    ResponderExcluir
  10. Oii!

    Não curti muito a história.
    A capa é bonita, mas não irei ler.
    Parabéns pela resenha, mas irei deixar essa dica passar.

    Beijos, Amanda
    www.vicio-de-leitura.com

    ResponderExcluir
  11. Descobri esse livro recentemente através de uma resenha e desde então estou com muita vontade de le-lo. Sua resenha reforça ainda mais essa vontade.

    Bjs.

    Ciadoleitor.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  12. Gabrielly, nunca tinha ouvido falar do livro, mas já estou morrendo de vontade de lê-lo.
    Não só o título é forte como toda a história.
    Pelo que você disse é aquele tipo de história que te incomoda e te dá mais vontade de ler.

    Lisossomos

    ResponderExcluir
  13. Olá, essa é a primeira vez que vejo algo sobre esse livro. Gosto de enredos que causam polêmicas dentre a sociedade, são esses os que mais mexem conosco.

    Beijokas da Quel ¬¬
    Literaleitura

    ResponderExcluir
  14. Olá,

    confesso que não tinha visto esse livro antes. Parece ser interessante a obra e também polêmica. www.sagaliteraria.com.br

    ResponderExcluir
  15. Confesso que não estou habituada a ler esse gênero mas sua resenha me chamou a atenção e eu fiquei curiosa para conhecer essa história mais a fundo
    Beijos

    http://blog-myselfhere.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  16. Oie
    nossa, que interessante saber que o livro é rápido de ler mesmo nao parecendo pelos temas que abordam, fiquei curiosa depois de ler a resenha e acho que ou adicionar a lista, boa dica

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  17. Oi, Gabi! Tudo bem? Antes de tudo, adorei ler a sua resenha, e você não sabe como eu me sinto feliz por saber que esse mesmo livrinho já esteve aqui no meu quarto! Hahaha Isso é tão divertido!
    Entendo muito a sua "confusão" em relação à liberdade que as adolescentes têm, mas te digo que isso não é muito diferente do que acontece aqui bem pertinho da gente, por exemplo. Já viu crianças de 6 anos pegando o ônibus sozinhas para irem à escola? Isso segue o mesmo princípio. Quando a família é pobre, as crianças precisam amadurecer mais cedo em alguns aspectos, pela falta de certas mordomias. No caso dessas meninas, o livro deixa bem claro que elas só fazem as cirurgias porque os "profissionais" que as atendem são incompetentes e só querem tirar proveito. A mesma coisa acontece aqui quando se trata de aborto: O aborto acontece de uma forma ou de outra, sendo que quem tem grana pode viajar para um país onde ele é legalizado e fazê-lo em clínicas direitas, com total assistência. Já quem é pobre, precisa recorrer a "clínicas" clandestinas e acabam tendo diversas complicações. Triste, né?
    Toda essa proximidade e ao mesmo tempo diferença entre a realidade do livro e a nossa própria realidade foram o que mexeram comigo.
    Beijo grande!
    Mona
    www.literasutra.com

    ResponderExcluir
  18. Que premissa diferente! Fiquei muito interessada nessa leitura, sua resenha mostrou que é bem profunda e com uma crítica bem sustenta à sociedade, pelo visto deve ter algo para os padrões de beleza também. Adorei!

    ResponderExcluir
  19. Oláá! Livro com premissa beeem diferente, o título dele já chama atenção.Gostei da premissa e do autor não fazer enrolação, como alguns fazem. Adorei a resenha!!

    Beijão da Lari!
    Brilliant Diamond |
    Fan Page

    ResponderExcluir
  20. Esse livro me parece muito fiel em retratar uma realidade com a qual não estamos acostumadas e acredito que esse seja o principal motivo para nosso desconforto com a leitura. Ainda não li o livro, mas li resenhas maravilhosas sobre ele.

    ResponderExcluir
  21. Estou completamente estupefata, flor, como você ficou ao fim do livro. O título já é um provocativo, mas sua resenha me foi um balde de água fria. E não no sentido de me sentir pouco atraída pela obra, mas no sentido de ser tão crua quanto a proposta do autor. Sem rodeios, você foi apresentando o enredo e fui me sentindo surpresa por ser essa a personagem da história, essa a sua motivação (a falta de peitos), essa a sua realidade (a prostituição) e essa a sua vida (o tráfico e a corrupção). Nossa, gostei! kkkk. Adoro quando a literatura nos causa desconforto. Vou ler, com certeza.

    Beijos!
    http://www.myqueenside.blogspot.com

    ResponderExcluir
  22. Nossa
    Eu to chocada!!
    Eu comecei a rir quando vi o nome do livro, mas me surpreendi com a sua resenha e com a historia. É simplesmente totalmente ao contrário do que eu imaginava.

    beijos
    Livros & Tal

    ResponderExcluir
  23. Oi, olha logo de cara esse título me faria pensar num romance bem misógino. Porém através das resenhas que eu tenho lido percebo que essa obra é muito próxima a realidade de alguns países de terceiro mundo, inclusive o Brasil. Alguns de nós muitas vezes não vemos isso no nosso cotidiano, mas esse cenário é muito semelhante ao encontrado em várias comunidades nas capitais e no interior do Brasil. Eu acho que esse tipo de leitura é muito válida pois nos permite olhar um pouco para culturas mais próximas da realidade do nosso país.
    Beijos

    ResponderExcluir
  24. Olá, tudobem?
    Quando li o título achei que seria algum livro de humor, sei lá! Mas ao ler a resenha fiquei boquiaberta, entendo quando você diz que quando você não tem um pouco de conhecimento do as pessoas realmente vivem em outros países.
    Gostei muito do seu post!
    Beijos, Larissa (laoliphant.com.br)

    ResponderExcluir
  25. Parece ser um livro impactante, nossa, fiquei impressionado com sua resenha e chocado com o possível conteúdo do livro, fiquei realmente interessante em saber todas as críticas feitas e da forma que o autor expõem isso.

    Abraços & até!

    http://lendoferozmente.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  26. Pelo título da obra, logo pensei que fosse um livro erótico... e confesso que se o visse na livraria não me chamaria tanta atenção. Mas pela sua resenha, o livro é bastante intenso e trata de questões sérias... infelizmente presentes em nossa sociedade. Já coloquei o livro na minha lista de próximas aquisições. Parabéns pela Resenha!

    Bjss
    www.livrosdabeta.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  27. Li o título e já pensei "lá vem mais um new adult besta e clichê", mas acabei sendo positivamente surpreendido com um livro super interessante e que trata de tantos assuntos polêmicos e que precisa serem mais abordados na literatura.
    Adorei a resenha e fiquei com uma enorme vontade de conhecer a obra.

    Beijos
    http://ummundochamadolivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  28. Olá, tudo bem?
    Eu adorei a premissa do livro! Abrange assuntos super interessantes e importantes! Com certeza eu leria o livro, embora tenha alguns assuntos que me assustem bastante.
    Beijos <3

    ResponderExcluir
  29. Narcoliteratura é um bom termos para livros difíceis como esse. Não gosto para ser sincera da forma como ela pensa, isso demonstra a falta de compreensão e educação. Creio que se falar demais entro em politicagem e sinceramente é por demais cansativo. Realmente acho o tema triste, fútil e infelizmente muitas meninas podem acabar por ver nesse livro uma forma de seguir em frente e não acho um bom exemplo, vejo a face da miséria humana no pensamento e na forma de vida em que ela escolhe. Desculpe mais não resisti em postar o que senti ao ler sobre o livro. Se eu leria...Leria, mais talvez minha resenha fosse de um leitora chocada.Bjs e boas leituras.

    ResponderExcluir
  30. Oie tudo bem? Você me ganhou quando disse que a narrativa é bem direta e sem muitos rodeios, gosto de livros assim e também me interessei pelo enredo, apesar de achar a personagem um pouco fraca e fútil, imagino que isso aconteça na realidade com muitas garotas.

    ResponderExcluir
  31. Olá, gostei da resenha. Eu acho a premissa desse livro bem interessante, pois sempre gosto de ler obras que falem sobre países vizinhos, espero poder lê-lo em breve.

    ResponderExcluir
  32. Oi!
    Fiquei bem interessada nesse livro, mesmo ele não sendo do estilo que gosto justamente porque você disse que a narrativa não tem rodeios. Outro ponto que julguei forte foi o fato dele não se ater as cenas de violência porque sou do tipo que se impressiona e fica semanas assustada, rsrs.
    Bjs!
    Quem Lê, Sabe Porquê

    ResponderExcluir
  33. É a primeira vez que vejo esta expressão: narcoliteratura. Irei pesquisar mais sobre o assunto.
    Para quem não está habituado com mazelas desse mundo, acredito que o conteúdo do livro deve ter sido bem impactante. Infelizmente, é isso aí mesmo, os "bandidão" são tratados como "deuses", são respeitados. Vou até anotar o título desse livro, pois fiquei bem interessada, gosto bastante de obras que trazem críticas de uma forma bem escancarada a nossa sociedade.

    Abraços,
    Karina do blog Eu e Minha Cultura.

    ResponderExcluir
  34. Vou falar, eu pensava que esse livro era erótico, pelo nome e pela capa.
    Lendo sua resenha vi que estava completamente errada, mas mesmo assim não sei se leria, pelas coisas que a trama apresenta, a construção dos personagens e tal.
    Prefiro algo mais leve como um romance clichê que é ótimo para passar o tempo.

    Bjs!

    ResponderExcluir
  35. Oi, Gabrielly, tudo bom?

    Uau! Esse é exatamente o tipo de livro que eu gosto! Algo mais intenso, com uma crítica interna e principalmente sobre um assunto tão recorrente! Parabéns pela resenha e obrigado pela dica!

    Abraços,
    http://claqueteliteraria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  36. Olá,
    Nossa não conhecia o termo narcoliteratura! Mas faz bastante sentido, muitos autores estão usando isso em seus livros. Apesar do tema pesado, assim como você provavelmente, por curiosidade leria bem rápido também.

    http://euinsisto.com.br

    ResponderExcluir
  37. Oie,
    Confesso que o título e a capa não me conquistaram, mas depois que comecei a ler sua resenha fui ficando curiosa!
    Gosto de livros que passam um pouco da realidade e nos dá um tapa com luva de pelica.
    Parabéns pela resenha

    Beijokas

    ResponderExcluir
  38. Oi, tudo bem?
    Apesar de não ter me interessado em ler o livro ele aborda temas bem interessantes e gosto quando a leitura fui bem! Acho o título do livro bem legal também.
    Bjs

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar!